Menu

Alimentação dos peixes

Alimentação dos peixes

Natália de Jorge Natália De Jorge é Zootecnista especialista em lagos ornamentais do departamento comercial da Cubos.

Assim como todos os seres vivos os peixes também precisam de uma boa alimentação para uma vida saudável. Para melhorar a qualidade de vida e deixar os peixes mais resistentes a doenças, estão sendo utilizados os suplementos alimentares que são compostos utilizados para completar alimentação. Geralmente possuem em sua composição aminoácidos essenciais, vitaminas, prébioticos e probióticos. 

Aminiácidos
Os aminoácidos são moléculas que atuam na formação das proteínas. Os aminoácidos essenciais são aqueles que os seres vivos precisam, mas o organismo não produz, por isso é necessária sua ingestão, eles são encontrados em alimentos de origem animal. 

Vitaminas
As vitaminas são substâncias orgânicas importantes para nossa saúde e dos peixes também, mas o organismo deles não produz. Elas são requeridas em pequenas quantidades e estão diretamente ligadas ao sistema imunológico. Entre as mais utilizadas está a vitamina C. A vitamina C possui um alto poder oxidante, ela também está ligada a formação de colágeno, o que a torna diretamente ligada ao crescimento dos peixes. 

Probióticos 
Os probióticos são micro-organismos que proporcionam benefícios ao organismo do hospedeiro, ele atua no sistema gastrointestinal, ajudando a melhorar o equilíbrio da microbiota, através da exclusão competitiva das bactérias, atua também nas vilosidades do intestino. Além de ajudar na absorção de nutrientes. Na composição dos probióticos mais comuns estão as bactérias do gênero Bacillus e Lactobacilus.

Prebióticos 
Os prebióticos são componentes que não são digeríveis pelas enzimas produzidas pelo organismo como por exemplo as fibras. Eles têm a função de estimular o crescimento das bactérias benéficas para a flora intestinal. O prebiótico mais utilizado nas composições de suplementos alimentares é o Mananoligossacarídeo, mais conhecido como M.O.S. Ele é um oligossacarídeo que vem da estrutura celular de uma levedura chamada Saccharomyces cerevisai, ele atua impedido o crescimento das bactérias patogênicas para o intestino.

Imunoestimulantes 
Os Imunoestimulantes são substancias que atuam no mecanismo de defesa do organismo. Geralmente são compostos por vitaminas, ácidos orgânicos, óleos essenciais, promotores do sistema imunológico.

Atualmente a utilização de suplementos na alimentação dos peixes vem sendo bastante estudadas pelo fato de seus componentes estarem diretamente ligados ao sistema imunológico. A queda na imunidade dos peixes, o que acaba aumentando o aparecimento de doenças, geralmente acontece quando os peixes passam por situações de estresse. Essas são causadas pelo transporte, alta densidade de estocagem, manejo, poluição, excesso de matéria orgânica, e principalmente nos períodos de inverno quando há mudanças bruscas de temperatura.

Os suplementos alimentares podem ser utilizados em peixes de produção e ornamentais também, porque além de favorecer o desenvolvimento do sistema imunológico, eles ajudam no crescimento, melhorar o ganho de peso e diminuir a conversão alimentar. Podem ser utilizados durante todo o ciclo de produção, e no caso dos peixes ornamentais durante toda a vida. Mas os criadores procuram utilizar esses produtos nos períodos mais críticos principalmente alguns meses antes de realizarem alguns manejos como por exemplo classificação, biometrias e também antes de começar o inverno nos meses de maio a setembro.

Esses suplementos são fornecidos aos peixes misturados na ração. Normalmente são vendidos em pó e precisam ser diluídos, para isso existem alguns veículos de mistura. O mais utilizado é o Óleo Vegetal de soja ou de peixe mesmo. Esses produtos são uma boa opção para manter os peixes saudáveis, mais fortes para resistirem aos períodos de estresse.

Referências:

Sousa, A. D. L. Mananoligossacarídeo e β-glucano na suplementação dietária para juvenis de tilápia-do-nilo mantidos em tanques-rede (Jaboticabal). Tese (doutorado) – Universidade Estadual Paulista – Centro de Aquicultura, 2010

Cavichiolo, F.; Varga, L.; Ribeiro R. P. et al. (2002) Efeito da suplementação de vitamina C e vitamina E na dieta, sobre a ocorrência de ectoparasitas, desempenho e sobrevivência em larvas de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus L.) durante a reversão sexual. Departamento de Zootecnia, Universidade Estadual De Maringá.

REVISTA ELETRÔNICA NUTRITIME – ISSN 1983-9006 www.nutritime.com.br. Uso de probióticos na aquicultura – Revisão Artigo 176 - Volume 9 - Número 05 – p. 1965 – 1980 - Setembro/ Outubro 2012 

Compartilhe nas redes sociais

Deixe seu comentário

NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter para receber novidades, promoções e muito mais.