Menu
Whatsapp: OU

Como os sais influenciam os peixes

Como os sais influenciam os peixes

William Hagiwara William Hagiwara é biólogo especialista em lagos ornamentais. 

Em águas de rios, lagos, e lagoas (que são conhecidos como água doce) também possuem sais e minerais. Esses sais minerais, mesmo que em pequena quantidade, exercem influência constantemente no equilíbrio osmótico dos peixes.
         
Ação osmorregulatória nos peixes de água doce

O sangue dos peixes, assim como o sangue dos humanos, possui cerca de 0,9% de sal, sendo que nos peixes o íon de sódio (Na+) representa cerca de 75% a 80% desses sais. Os peixes de água doce tendem a perder sais por osmose, uma vez que a água que contem poucos sais fica em contato direto com os capilares sanguíneos de suas brânquias.

Os peixes viventes em água doce possuem estratégias para manter equilíbrio osmótico. Uma importante estratégia para que os peixes mantenham esse equilíbrio, estão associadas ao sistema neuroendócrino. Esse sistema induz a produção de hormônios que agem nos tecidos responsáveis pela osmorregulação.

Dentre estes hormônios pode ser citado como um dos mais importantes a prolactina. A prolactina é um dos principais hormônios na osmorregulação, atuando na entrada de íons nos tecidos causando alterações no metabolismo dos animais.  A prolactina é responsável pela redução da permeabilidade das brânquias e aumenta a produção de muco. Diminui a permeabilidade do epitélio reduzindo a absorção de NA+, CL e água. Aumenta o CA2+ plasmático, minimizando a perda de sais do sangue para a água, influenciando também no funcionamento da bexiga urinária, e rins para a reabsorção de grande quantidade de sais da urina e descartar grande quantidade de água, que é absorvida continuamente por osmose.
 
Fatores que promovem perda de sais aos peixes

O estresse pode ser causado por captura em redes, transporte, confinamento, ou até mesmo reprodução liberando alta taxa de cortisol, que é um hormônio que aumenta a permeabilidade das membranas branquiais, o que pode resultar em uma excessiva entrada de água e perda de sais podendo acarretar até mesmo a morte do indivíduo.

Hoje existem muitos estudos utilizando cloreto de sódio (NaCl) em piscicultura, no mais pode se dizer que em quantidade controlada, pode fazer com que diminua o consumo de oxigênio dos peixes, baixa o nível de estresse causado por depuração, manuseio como biometria, transporte e captura em redes, é utilizado também em tratamento contra bactérias, amenizador de algumas condições adversas como aumento de nitrito.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe seu comentário

NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter para receber novidades, promoções e muito mais.